sábado, 19 de março de 2011

Inter precisa de novas idéias

Todos sabem que não sou fã do trabalho de Celso Roth. Desde de 2002, quando treinou o Inter, acompanho seus trabalhos por onde passa, e cada vez tenho menos motivos para apreciá-lo como treinador. É pouco ousado, conservador demais e tem medo de times muito inferiores ao seu. Roth não sabe usar um grupo grande e qualificado como o atual elenco colorado. Se atrapalha com as alternativas e não tenta criar fatos novos que possam surpreender seus rivais. Foi assim hoje contra o Novo Hamburgo. Escalou mal e deixou a equipe tal qual um time de "pinogol". Totalmente estático.

Sem poder usar os titulares, Roth escalou o que tinha de melhor. Não são maus jogadores, bem pelo contrário. Lauro, Índio, Guiñazú, Andrezinho, Sóbis, Cavenaghi, todos são jogadores que reunem totais condições de serem titulares. Agora, escalar um time para enfrentar o Novo Hamburgo, dentro do Beira-Rio, com três volantes, sendo que dois deles são Wilson Mathias e Glaydson, é pedir para ser vaiado. Andrezinho sozinho na armação não vai fazer milagres para abastecer Sóbis e Cavenaghi de qualidade incontestável.


Guiñazú e Mathias: Dois dos três volantes de Celso Roth

A carranca de Celso Roth faz com que o clube não consiga promover jogadores oriundos das categorias de base. Será que não existem laterais, tanto direito, quanto esquerdo, melhores do que Daniel e Juan nas categorias de base do Inter? Deve existir, mas o treinador não se dá nem ao trabalho de experimentar. Faz só o óbvio e isto fez com que ele fosse um perdedor na maior parte da sua carreira. Ano passado herdou um título de Jorge Fossati. Não sei se conseguirá outro triunfo no Inter. Pode ser que sim, mas terá que se reciclar.

O Inter precisa de novas idéias. Se não der com Celso Roth, terá que buscar outra alternativa. O torcedor está mal acostumado. Nos últimos anos foi muito feliz com técnicos ousados, como Muricy, Abel e Tite. Retroceder e ver seu time mais preocupado em não perder, deve doer, e muito.

sexta-feira, 18 de março de 2011

Áudios da Máquina do Cafezinho León 1 x 1 Grêmio

Parte 1


video

Parte 2

video

Parte 3

video

Parte 4

video

Gol de Carlos Alberto

video

A falta que Jonas faz!

Criticado, marcado, pro muitas vezes ridicularizado por torcedores, o atacante Jonas faz uma tremenda falta ao time do Grêmio. Não só por causa dos tantos gols que marcou com a camisa tricolor, mas por sua movimentação que proporcionava tabelas com os companheiros e espaços na defesa adversário. Para piorar, seu substituto ainda não foi descoberto por Renato Portaluppi. Júnior Viçosa não é. Diego Clementino pode ser, mas tem menos qualidade que Jonas. André Lima, agora lesionado, é centroavante. O Grêmio terá que encontrar rápido uma alternativa para resolver este problema.

Carlos Alberto melhorou, mas está longe de ser o jogador que brilhou no Fluminense e no Porto
Ontem, contra o León, o tricolor teve muitas dificuldades para chegar com qualidade a frente do goleiro Juan Flores. O penúltimo toque ficou restrito aos lampejos de Douglas, que mesmo quando joga mal tem qualidade para em um lance definir, ou deixar um companheiro em boas condições de marcar. Conclusão de que o Grêmio de Renato Portaluppi está refém de um ou dois jogadores e ainda não encontrou o companheiro ideal para Borges.

Não foi só ontem que o tricolor jogou mal. Contra o Cruzeiro, quando ganhou por 4 x 2 teve dificuldades. Contra o Caxias nem se fala e ontem foi muito abaixo da média contra um time pouco qualificado. Renato tem que repensar suas idéias, dar uma reformulada em seu esquema tático e tentar recuperar tecnicamente alguns jogadores que não estão rendendo o esperado. Paulo Odone já deu uma luz alta e disse esperar mais do grupo. Ainda não vejo uma crise estabelecida no Olímpico como muitos têm pregado, mas se não melhorar a suposta crise pode virar realidade.

quinta-feira, 17 de março de 2011

Jorge Wilstermann 1 x 4 Inter - Jornada da Máquina do Cafezinho na íntegra

O Inter não fez uma partida brilhante, mas conseguiu derrotar o frágil Jorge Wilstermann e fazendo saldo, 4 x 1, com gols de Brown para o Wilstermann, Brown contra, Leandro Damião, Zé Roberto e Kléber para o Inter.

Os grandes destaques colorados foram Oscar, Damião, Zé Roberto, Bolatti e Andrezinho que entrou no segundo tempo. A zaga ainda precisa ser ajustada. Celso Roth, que ganhou uma sobrevida, ainda não achou a dupla de zagueiros ideal.

O Inter lidera o grupo 6 com sete pontos, empatado com o Emelec, mas na frente pelo saldo de gols. O próximo jogo é dia 30, contra o mesmo Wilstermann no Beira-Rio, as 21:50.

PARTE 1

video

PARTE 2


video

PARTE 3


video

PARTE 4

video

GOL 3 - ZÉ ROBERTO

video

GOL 4 - KLÉBER

video

Lembrando que não temos o gol do Wilstermann, nem os 2 primeiros gols colorados em função de eles terem acontecido durantes a voz do Brasil. Espero que tenham gostado e curtam ouvir novamente.

quarta-feira, 16 de março de 2011

Sob a sombra de Muricy

Esta mais do que comprovado que o técnico Celso Roth terá hoje uma pressão muito maior do que o enfrentamento contra o Jorge Wilstermann. Muito maior do que os 2.500 metros de altitude da cidade de Cochabamba. O treinador encara estas adversidades e mais a sombra de um ídolo colorado, o técnico Muricy Ramalho, livre no mercado e o preferido de 9 a cada 10 colorados. Muricy não tem um título de expressão pelo Inter, mas foi o responsável por montar a base de time herdada por Abel Braga. Geração que conquistou o 1º título da Libertadores e o Mundial de Clubes. Um resultado adverso hoje e a pressão sobre Roth, que já é gigantesca por parte da torcida se tornará insustentável.


Como disse em um post anterior, Roht manterá a equipe com 3 volantes, 2 meias e 1 atacante e deixará Oscar entre os titulares. Atitude correta, que não sei se foi tomada pela cabeça do treinador, ou por exigência dos dirigentes, mas é totalmente acertada, mantendo um pouco do poderio ofensivo do time. Bailou Wilson Mathias, outro jogador muito questionado pela massa vermelha.



Então hoje, a partir das 19:30, em Cochabamba contra o Jorge Wilstermann será assim para Celso Roth: Pressionado por resultado, desempenho e com Muricy "fungando" em seu cangote.

O time do Inter deve ter:
Lauro, Nei, Rodrigo, Índio e Kléber; Bolatti, Guiñazú, Tinga e Oscar; Zé Roberto e Leandro Damião.
Técnico Celso Roth

O time do Jorge Wilstermann:
Mauro Machado; Lucas Fernández, Ignacio Brown e Juccelio Da Silva; Gregorio Abreu, Víctor Melgar, Martín Verón, Cristian Machado e Carlos Ojeda; Luis García e Daniel Toscanini.
Técnico: Marcelo Neveleff

Árbitro: Enrique Cáceres (PAR)
Assistentes: Nicolás Yegros (PAR) e César Franco (PAR)

terça-feira, 15 de março de 2011

Kajuru divulga a íntegra do papo com Renato Portaluppi

Kajuru divulgou agora, no início da noite, a íntegra do bate-papo com Renato Portaluppi. Nesta versão do vídeo, Renato dá a entender que reconhece o jornalista. O novo vídeo coloca mais pimenta na polêmica do dia no meio esportivo, de que Portaluppi estaria trocando o Grêmio pelo Fluminense.

Muita água ainda vai passar por debaixo desta ponte. Aguardemos!!!

video

Alecsandro pode estar de saída do Inter

As postagens de Alecsandro, centroavante do Internacional, no twitter @alecsandrointer dão a entender que o jogador pode estar de saída do clube. As mensagens são informando que está desativando sua conta na ferramenta e anunciando um possível retorno em breve. 

Abaixo as mensagens do ex-titular colorado:

@AlecsandroInter

Logo mais espero voltar e ai aviso tds vcs e conto com a parceria. obrigado a todos e valeu todo mundo.
Olá pra todos. Como estão? Vim aqui pra agradecer o apoio e msgs de todos. hj estou encerrando a conta no twitter...

Versão de Renato sobre "entrevista" para o Kajuru

É fato: Renato confirmou que foi ele mesmo quem falou com o Jorge kajuru. Argumentou que recebe uma média de oito trotes por dia e que resolveu revidar fazendo uma brincadeira, pois não sabia se realmente se tratava do jornalista. Se for para acreditar em alguém, fico com o treinador gremista. Vem sendo correto, recuperou o Grêmio que vinha de mal a pior em 2010 e colocou o clube na Libertadores sendo trabalhador e sincero.

O histórico de Jorge Kajuru o condena e faz com que todos tenham os dois pés atrás com ele. Desprezo a forma como a notícia foi publicada, através de uma conversa informal que virou "entrevista". Sempre tive este ponto de vista e não vou mudar. Publiquei neste blog o vídeo porque este já havia explodido como uma "bomba" pelas redes sociais e portanto tornou-se relevante. Mas afirmo: Jamais, eu, Ramiro Ruschel, colocaria no ar a palavra de quem quer que seja sem autorização prévia. Conduta pessoal, que certa vez me fez ser repreendido por colegas que publicaram o áudio de dirigentes gremistas falando mal de jogadores e do técnico Tite (caso das ovelhinhas em 2003).

Para finalizar Mesmo que tenha sido brincadeira de Renato, a hora foi imprópria. O Fluminense está procurando treinador, a imprensa carioca publica diariamente que ele, Renato, é um dos cotados, portanto deveria ter mais cuidado na hora de falar ao telefone.

Renato Portaluppi se viu envolvido em polêmica entrevista a Kajuru

BOMBA: RENATO ADMITE TROCAR O GRÊMIO PELO FLUMINENSE!!!

Em rápida entrevista ao jornalista Jorge Kajuru, o técnico do Grêmio Renato Portaluppi admitiu que pode trocar o Grêmio pelo Fluminense.

Palavras de Renato:

Kajuru: Tem chance de você ir para o Fluminense?
Renato: Eu não te falei nada mas a chance é grande.

Kajuru: Não entendi?
Renato: Tem chance sim!

Kajuru: Tem Chance?
Renato: Tem, mas eu não te falei nada!

VEJA A CONVERSA NO VÍDEO

video

Seia realmente um trauma muito grande para a torcida perder seu ídolo maior, a atual referência do clube, e principalmente, o pulso firme que sustenta o vestiário tricolor.

Seria Renato Portaluppi capaz de abandonar o Grêmio e assumir o Flu?

Pela cabeça de Celso Roth ou dos dirigentes?

Confesso que tenho dúvidas sobre quem definiu a escalação do Internacional para a partida contra o Jorge Wilstermann, amanhã, pela Libertadores da América. Ao que tudo indica Celso Roth sacará da equipe o “bruxinho” Wilson Mathias e manterá a grande atração dos últimos dois jogos colorados, o garoto Oscar.

Pela entrevista pós-jogo contra o Caxias, a indicação era de que o jogador de 19 anos iria perder seu lugar por ser um pouco “displicente”, mesmo tendo dado assistência para cinco dos últimos sete gols do time. Mas parece que Roth mudou de idéia, ou por convicção, ou por pressão da diretoria de futebol. O certo é que a medida é acertada. Um clube da envergadura do Inter, atual campeão da Libertadores, não pode se retrancar para enfrentar um time da segunda divisão boliviana.

Celso Roth vem sendo muito criticado pela torcida do Internacional e é fato que Muricy Ramalho, hoje desempregado, é muito querido pelos colorados. A forte pressão da nação vermelha sobre a direção para que seja feita a troca de técnico pode também ter sido determinante para a mudança de convicção de Roth.


Pela cabeça de Celso Roth ou dos dirigentes? Pouco importa. O que é realmente relevante é de que o Inter vai com o que tem de melhor no momento para recuperar a liderança do grupo 7 da Libertadores.  

segunda-feira, 14 de março de 2011

Decisão que ameniza, mas não resolve por completo

A Confederação Brasileira divulgou hoje a tabela do Brasileirão 2011. A competição começa em 21 de maio e se estende até 03 ou 04 de dezembro. A decisão mais marcante foi a de colocar os clássicos regionais todos para a última rodada, como forma de tentar evitar o que vem acontecendo nos últimos anos, de um time A, de uma determinada cidade, escalar reservas para prejudicar um time B da mesma cidade que briga por título, vaga na Libertadores, vaga na Sul-Americana ou contra o rebaixamento.

Apesar de correta, a mudança não resolve o problema por completo. Os times ainda podem praticar o corpo mole, escalar reservas e ou não endurecer as partidas nas rodadas anteriores a 38º. Seria muito raivoso detonar a CBF por tal mudança, deve ser saudada, mas fica apenas o registro de que sempre vai haver a rivalidade, mesmo que não seja na última rodada. Já é um começo e a gente torce para que o futebol seja mais honesto e decidido dentro de campo, e não fora das quatro linhas.

Confira a tabela e sua última rodada marcada para 03 0u 04 de dezembro:

Corinthians x Palmeiras
São Paulo x Santos
Internacional x Grêmio
Cruzeiro x Atlético-MG
Atlético-PR x Coritiba
Avaí x Figueirense
Botafogo x Fluminense
Vasco x Flamengo
Bahia x Ceará
Atlético-GO x América-MG

GRENAL na última rodada do Brasileirão

Em tempo, o Grêmio estréia no Olímpico contra o Corinthians e o Inter estréia contra o Santos na Vila Belmiro. Pedreiras já na largada!


  

Os técnicos e seus protegidos

O final de semana deixou claro que existe "bruxismo" no futebol e que a dupla GRENAL está sofrendo deste problema. Para justificarem suas indicações, Renato Portaluppi e Celso Roth violentam os time de Grêmio e Inter e brecam garotos que estão despontando para o futebol e bons jogadores que sofrem com as escolhas dos "professores". Os casos mais gritantes são de Carlos Alberto e Gílson no Grêmio e Oscar e Zé Roberto no Inter.

Pelo lado colorado a situação é muito mais grave, porque Celso Roth inventa argumentos insustentáveis para defender seus queridinhos, e torra jogadores que estão em ascensão. Exemplos: Wilson Mathias já teve todas as chances do mundo com o treinador. Não mostrou absolutamente nada que garantisse sua titularidade, mas continua com o respaldo do treinador, e somente do treinador. O caso de Zé Roberto foi ainda mais grave e ofensivo ao torcedor, chamado de burro por Roth nas entrelinhas. O jogador não fez nada para merecer elogios contra o Caxias, mas recebeu o carinho do chefe, enquanto Oscar participou de dois dos três gols e mesmo assim foi chamado de inexperiente e jogado aos leões publicamente. Lembrando: Zé Roberto foi indicado por Roth, Oscar não.

Contra o Wilstermann, Roth deve escalar 4 volantes e apenas um meia, que deve ser Zé Roberto. Oscar deve amargar um banco de reservas.

Pelo lado tricolor Renato Portaluppi comprou a briga de Carlos Alberto, literalmente. Contra o Cruzeiro o jogador foi expulso e seria execrado pelos torcedores presentes, mas em uma atitude providencial Renato invadiu o campo e chamou toda a atenção para si. Confesso que fiquei em dúvida se ele teria a mesma atitude para defender outro atleta do elenco. Renato sabia que a casa cairia para Carlos Alberto. Sabe que o jogador já está devendo e ficando com o filme torrado com o torcedor. Como é uma indicação sua, abre as asas e o protege como se fosse um filho que fez arte.

O mesmo pode ser registrado na lateral-esquerda. No ano passado Renato indicou e trouxe Gílson do Paraná para o Grêmio. Na época, para ser reserva de Lúcio e Fábio Santos. O primeiro virou meio-campista, o segundo foi embora e Gílson tornou-se o titular. O que não se esperava era que Bruno Collaço, que retornara da Ponte Preta começasse o ano tão bem, pedindo passagem para ocupar a vaga. Mas vai ter que suar muito e rezar, porque já era do Grêmio. Não foi uma indicação do "Todo Poderoso" Renato Portaluppi.

Contra o León, em Huánuco, Gílson deve ter seu lugar garantido. Bruno Collaço segue esperando a chance.

Como a direção deve agir? Como fazer com que os técnicos deixem de lado suas preferências equivocadas e passem a valorizar quem merece? Os treinadores estão com a razão de imporem seus favoritos por convicção, ou podem ser considerados cabeças duras?

Opinem, participem, deixem seus comentários!

domingo, 13 de março de 2011

Se não fosse o Damião ...

Só não vê quem não quer. Celso Roth estraga o time do Internacional. Graças a "São" Leandro "Cosme" Damião, o treinador respira no comando colorado. Está certo que o Caxias é um bom time, deu trabalho ao Grêmio na final da Taça Piratini, mas entregar um jogo ganho, com um jogador a mais em campo, não tem explicação.

O Inter começou devagar, em ritmo lento, quase parado. Tomou o primeiro gol aos 3 minutos. Cresceu um pouco, empatou com Damião, perdeu um pênalti com o apático Zé Roberto e sofreu o 2 x 1. Ainda no primeiro tempo empatou. Mais uma vez Leandro Damião, mesmo que impedido, conferiu e marcou. Um primeiro tempo espetacular, movimentado, disputado e emocionante.


Damião comemora um dos seus gols

Parecia que a coisa iria melhorar no segundo tempo. Roth corrigiu o problema defensivo, sacando Sorondo e Massari e colocando Juan e Índio. A equipe ficou mais compacta. Porém, o treinador não corrigiu os problemas mais graves do time. Wilson Mathias e Zé Roberto permaneceram em campo. O volante nunca está no lugar onde deve estar e o meia-atacante não entrou em campo. Estavam caindo de maduro as substituições, mas a leitura de jogo do Roth foi demorada.

Damião virou. Éwerton empatou. Com um 3 x 3 foi registrado um grande jogo, mas foram deflagrados problemas sérios no time colorado, principalmente na proteção da zaga. Falta definir ainda o primeiro volante. Mathias não é. Bolatti pode ser, dependendo da companhia. Porém, ao que parece, ainda falta um cabeça de área clássico, que destrói e dá a bola pra quem sabe construir.

Tinga, Oscar, Damião e depois Sóbis jogaram bem. O resto do time não rendeu, inclusive Bolatti, que fez até aqui sua pior partida com a camisa colorada.

Quarta-feira o time volta a campo pela Libertadores, na Bolívia, contra o Jorge Wilstermann. Provavelmente com Kléber, mas ainda sem Bolívar e D'Alessandro. Resta saber se Celso Roth vai ajudar ou atrapalhar o time colorado. De um técnico que elogia a atuação de Zé Roberto, que não tocou na bola, e criticou Oscar, que foi um dos principais jogadores em campo e deu duas assistências para gols, não se sabe o que esperar. Aguardemos a escalação.